Experimenta e IADE dinamizam o Chiado com nova programação cultural

A Experimenta e o IADE – Instituto de Artes Visuais, Design e Marketing acabam de formalizar uma parceria com vista à dinamização cultural do Palácio do Barão de Quintela e Conde de Farrobo, sede cultural do IADE, no Chiado.

A Experimenta e o IADE – Instituto de Artes Visuais, Design e Marketing acabam de formalizar uma parceria com vista à dinamização cultural do Palácio do Barão de Quintela e Conde de Farrobo – a sede cultural do IADE, no Chiado.

A partir de 24 de Abril e durante 1 ano, a Experimenta assumirá a curadoria do espaço. Esta programação regular combina exposições, masterclasses, workshops, conferências e think tanks, entre outras iniciativas na esfera do design, arquitectura e cultura de projecto, envolvendo criativos, tecido empresarial, comunidade estudantil e público em geral. O programa será fortemente centrado na criatividade e produção portuguesas e converterá o Palácio, local de referência ao longo dos 40 anos de história do IADE, num hub criativo de experimentação e inovação. A programação tem início Sábado, 24 de Abril, com a inauguração da exposição REVOLUTION 99/09, um olhar sobre o design industrial e design de comunicação em Portugal nos últimos dez anos.

Esta parceria nasce da partilha de interesses e orientações entre a Experimenta, associação dedicada à promoção do design enquanto vector de desenvolvimento transversal e o IADE, instituição pioneira do ensino superior do design em Portugal. O objectivo comum é posicionar este espaço privilegiado do Chiado como pólo cultural emergente nas áreas do design e arquitectura, com uma programação diversificada, acessível e estimulante. Visa captar e envolver mais interlocutores na discussão e exploração do design enquanto ferramenta reconfiguradora da contemporaneidade e geradora de mais-valias efectivas para a sociedade.

Localizado em plena Rua do Alecrim, em Lisboa, o Palácio do Barão de Quintela e Conde de Farrobo é um belíssimo exemplar de arquitectura civil Pombalina, construído entre 1777 e 1788. Alvo de remodelações e obras de beneficiação por várias gerações de proprietários, o palácio foi enriquecido com estuques decorativos e pinturas a óleo e a fresco da autoria de António Manuel da Fonseca e Wolkmar Machado. Para além do seu valor patrimonial e artístico, o Palácio tem um interessante historial: foi residência oficial do General Junot durante as invasões francesas, cenário de grandes festividades mundanas e da criação do Partido Republicano Português, tendo acolhido um riquíssimo museu, um salão de antiguidades e a maior biblioteca camoniana do mundo (actualmente património da Biblioteca do Congresso de Washington). Classificado imóvel de interesse público em 1938, o Palácio tornou-se a sede do IADE em 1969, aquando da sua criação, convertendo-se em sede cultural com a abertura das novas instalações na Avenida Dom Carlos.

Mais informações em www.experimentadesign.pt ou www.iade.pt

Deixa-nos o teu comentário: