Armando Cabral

Armando Cabral faz parte da vasta e conceituada lista de manequins da Wilhelmina Models e o seu perfil esguio e clássico na forma como veste a moda, definiu-o como uma das escolhas principais para os melhores designers de moda do mundo. Já se destacou em desfiles para vários designers como Calvin Klein, Dries Van Noten, Thom Browne, Louis Vuitton, Givenchy ou Galliano.
Armando Cabral por Steven James Emberton

Armando Cabral faz parte da vasta e conceituada lista de manequins da Wilhelmina Models e o seu perfil esguio e clássico na forma como veste a moda, definiu-o como uma das escolhas principais para os melhores designers de moda do mundo. Já se destacou em desfiles para vários designers como Calvin Klein, Dries Van Noten, Thom Browne, Louis Vuitton, Givenchy ou Galliano.

No seu percurso como manequim de sucesso e projecção internacional, o Armando encontra, em todos as fases, desafios com as adversidades, os estereótipos e o preconceito. Nasceu na África Ocidental, numa antiga colónia portuguesa, onde as passerelas não passavam de uma ideia distante.

Ainda jovem viu a sua vida delineada pela sua família, quando emigraram para Portugal. O seu pai, um influente político na Guiné-Bissau, insistiu que a educação era a principal prioridade que o seu filho deveria prosseguir. Armando focou-se na sua educação apesar de, ao mesmo tempo, aprender o talento da sua mãe enquanto costureira. Enquanto a assistia, ele desenvolveu interesses no processo de construção de um produto de vestuário. Através dessa orientação ele ampliou sua visão e estudou arquitectura na escola secundária.

Armando Cabral por Greg Kadel

Foi a sua irmã, também manequim, que o levou dar o passo e entrar na indústria da moda. Muda-se para Londres, onde frequenta Gestão Empresarial na London Metropolitan University e lá, decide tornar-se modelo a tempo inteiro. Apesar da ronda inicial de rejeição, a sua ardente dedicação fê-lo conseguir assinar o seu primeiro contracto com a proeminente Nev Agency. A partir daí, o seu profissionalismo, ética e o seu talento natural levou-o ao topo da indústria.

Manequim, designer, empresário… quem é o Armando?
É difícil falar sobre nós. Mas para quem não me conhece, posso dizer que sou uma pessoa muito simples e simpática. Levo muito sério o meu trabalho e trabalho arduamente com paixão em tudo que eu faço. Tenho sorte de fazer as três coisas que mais gosto: sou modelo, designer e empresário. (risos)

Nasceste na Guiné-Bissau e cresceste em Portugal. Como acabaste catapultado para os olhos do mundo?
Acabei por ser cidadão do mundo graças a minha irmã (que infelizmente faleceu). Foi ela que me levou a uma agência em Portugal, e acabei por ficar agenciado embora, logo depois, o meu pai achou que tinha que ir para Londres estudar. Foi aí que a minha carreira começou e ganhou asas para o mundo fora.

És apelidado e referido como “a estrela da passerela”, “intemporal e sofisticado”, “tudo em ti respira sucesso”… como te sentes com esta caracterização em geral?
É sempre bom receber elogios e fico grato com essa caracterização. É um sinal de reconhecimento profissional que se deve ao meu percurso internacional como manequim. Gosto do que faço, e ser elogiado pelo meu trabalho é bastante satisfatório. Só tenho que agradecer!

As tuas características levaram-te a vestir as colecções de alguns dos mais conhecidos designers de moda e acessórios do mundo. Qual o desfile que te deu mais prazer participar? Para quem é que ainda não desfilaste e que gostasses de o fazer?

Os desfiles foram sempre os meus trabalhos favoritos. É difícil escolher um, entre tantos. Mas se tivesse de o fazer, escolheria os da Louis Vuitton, simplesmente porque há sempre um ambiente muito agradável nos bastidores, nas festas e claro, reflecte uma elegância que representa lifestyle. É fascinante.

E quanto aos desfiles que ainda não fiz, gostava de desfilar para a Gucci ou para o Valentino. São os meus favoritos em Itália.

Quando é que percebeste que querias ser designer? Quando é que o Armando passou de manequim a designer?
Eu sempre gostei do design. Aliás, estava para seguir um curso de arquitectura. Acabei por mudar de ideias e optei por um curso de gestão empresarial. Apesar de não ser o designer da minha empresa, estou envolvido no processo do início ao fim. O design esta a cargo do Rucky Zambrano, o ex-director criativo da Hugo Boss, que também já desenhou para a Prada, Tod’s, Salvatore Ferragamo, Bally, entre outros.

Os designers para quem desfilaste foram inspiração ou o pontapé de saída para te tornares um designer de calçado? Quais os teus ídolos?

Diria que sim. A maioria dos designers com quem já trabalhei serviram, sem duvida, de inspiração. E alguns até me deram alguns conselhos que foram úteis. Mas para ser sincero, acompanho mais os “upcoming designers” e consulto muito blogs de moda, porque ajuda a perceber como as pessoas se vestem, sendo eles próprios. Muitas das vezes, com os designers estamos a ver uma produção total, desde o styling até ao ultimo detalhes. Gosto muito da Dries Van Noten, Yves Saint Laurent, Thom Browne e Gucci.

Fala-nos um pouco da tua colecção… uma colecção clássica com toques casuais…
O conceito era criar uma linha clássica mais com um toque casual, podendo assim oferecer um sapato versátil. A ideia foi baseada no meu próprio estilo de vida. Para uma pessoa que viaja muito, seja em negócios ou por lazer, o ideal era ter um sapato que ficasse bem, tanto numa sala de reunião como num jantar informal. E por fim, acabamos por criar três categorias na colecção Outono/Inverno 2010: o clássico, o híbrido casual e o contemporâneo.

Actualmente, “Armando Cabral” não é somente uma pessoa, é uma empresa. Os teus estudos foram uma grande ajuda para saberes os passos correctos… Quais as tuas ambições com a Armando Cabral International Ltd.?
Pois, agora também sou uma identidade empresarial. (risos)… Mas como é natural, o meu curso ajudou bastante no procedimento geral de gestão. Foi uma óptima oportunidade dar uso ao meu curso. Quanto a minha ambição com a empresa, tenho uma visão definida. tenho o objectivo de ter uma casa de moda internacional, com o reconhecimento na qualidade, no design e na inovação. E quem sabe, talvez um dia apresentar colecção de senhoras.

Onde podemos encontrar e comprar os teus sapatos neste momento?
A nossa primeira colecção foi para o Outono/Inverno 2010. Portanto, estará disponível só a partir de Setembro. Em Portugal estará à venda na Fashion Clinic e na Oficina Mustra. Já vamos na segunda colecção (Primavera/Verão 2011), que brevemente será apresentada em Lisboa.

Obrigado Armando!

Mais informações sobre a Armando Cabral International Ltd. aqui.

Também poderás gostar



Tags from the story
,

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.