Novas tendências da Arquitectura na Europa e Ásia-Pacífico 2008/2010

O Museu do Oriente apresenta a exposição “Novas tendências da Arquitectura na Europa e Ásia-Pacífico 2008/2010”, que pretende promover o intercâmbio entre a Europa e o Japão através da Arquitectura, enquanto arte abrangente, entre 22 de Outubro e 9 de Janeiro, na Galeria Sul.

O Museu do Oriente apresenta a exposição “Novas tendências da Arquitectura na Europa e Ásia-Pacífico 2008/2010”, que pretende promover o intercâmbio entre a Europa e o Japão através da Arquitectura, enquanto arte abrangente, entre 22 de Outubro e 9 de Janeiro, na Galeria Sul.

Após ter viajado por 17 cidades, incluindo as capitais europeias de Cultura, e de nela terem participado 91 arquitectos, provenientes de 27 países, esta 5ª edição da exposição realiza-se em Lisboa para dar a conhecer as tendências, os projectos e as maquetas de alguns dos profissionais de uma nova era de globalização, associada ao nascimento de cidades hiper-reais.

Entre os 15 projectistas representativos da Euro–Ásia, destaque para o arquitecto Bernardo Rodrigues, reconhecido internacionalmente pelos projectos arrojados e experimentalistas que desenvolve na área da Arquitectura Sustentável.

A utilização de materiais menos poluentes e de técnicas de rentabilização energética, bem como os nomes originais com que baptiza cada edifício, são algumas das imagens de marca de um conjunto de obras dispersas por locais como os Estados Unidos, a China, o Japão, o Dubai e Portugal. O hotel “O Arco e a Orquídea”, em Xian (China), a casa privada “Opus Lusa” e a “Capela da Luz Eterna”, nas ilhas Terceira e São Miguel (Açores – Portugal), são alguns exemplos da sua obra.

A exposição “Novas tendências da Arquitectura…” foi pela primeira vez organizada em 2001, como um projecto conjunto da Europa e do Japão em resposta à proposta para “Uma década de cooperação euro-japonesa”. O conceito surgiu da iniciativa portuguesa durante a presidência da União Europeia, em 2000, no seio do grupo de conselheiros culturais em Tóquio e contou, desde a primeira hora, com o apoio da galeria Tokyo Art Front.

O ciclo de exposições iniciado com o propósito de aprofundar o conhecimento mútuo e o intercâmbio entre a Europa e o Japão termina com o biénio 2008/2010, um projecto que se alargou, no contexto da globalização, à região da Ásia-Pacífico.

Tags from the story

Deixa-nos o teu comentário: