ID: Giulia Battaglini

Produtora Cultural
Lisboa
Fotografia: Alina Zardo

Giulia Battaglini

Lisboa/Udine

www.migalhas.org

Descreve-nos o teu trabalho em três palavras.
Desafiante, motivador, criativo.

Qual a primeira coisa que pensas quando acordas de manhã?
“Mais 5 minutos, por favor”

Em pequeno, o que querias ser quando fosses grande?
Sempre tive um fascínio enorme pelo teatro. Queria ser actriz.

Quais os teus ídolos?
Idolatrar é algo que não me pertence, mas fico frequentemente inspirada, principalmente pelas pessoas que me rodeiam, mais do que por mitos distantes da minha realidade.

Quais foram as férias mais inesquecíveis e insólitas que fizeste na vida?
Não foram bem férias, mas tornaram-se tais. Voltei de Lisboa para Itália com um desconhecido, num carro que tinha sido roubado um ano antes (e pertencia ao desconhecido), percorrendo o norte da Espanha. Durante a viagem, ainda perdemos as chaves do carro e tivemos que o assaltar nós próprios com a ajuda de um mecânico improvável. Foi lindo!

Tens animais de estimação?
Não lido bem com pêlos no sofá, cocó e xixi espalhados em sítios que não sejam a sanita. Não, não tenho.

Cantas no chuveiro? O quê?
Partilho casa e gosto de manter bom ambiente, por isto, é melhor ficar com a boca fechada.

Ainda vês televisão ou cedeste à internet?
Tenho uma televisão em casa, mas nunca carreguei no botão On/Off para ver se funcionava. Definitivamente, Internet.

Qual é o melhor sítio para te inspirares?
Em frente a um prato de uma óptima comida, ainda melhor se acompanhado por um copo de vinho.

O que andas a fazer neste momento?
Neste momento, estou a trabalhar num festival de cinema em Itália – o Far East Film Festival – e, paralelamente, continuo responsável pelo projecto Migalhas – cultura à mesa, uma revista distribuída nos restaurantes e cafés lisboetas. Mas tenho outras ideias na gaveta, que espero abrir brevemente.

Também poderás gostar



Tags from the story
, ,

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.