Eduardo Souto de Moura ganha prémio Pritzker 2011

Fotografia: Francisco Nogueira - www.francisconogueira.com
Foi com muita felicidade que comecei a sentir os rumores cibernéticos que Souto de Moura poderia ser o Nobel da Arquitectura deste ano, ainda mais feliz fiquei quando soube que era verdade. É sempre uma alegria muito grande saber que um Nobel da arquitectura é entregue a um português porque além...
Fotografia: Francisco Nogueira - www.francisconogueira.com

Foi com muita felicidade que comecei a sentir os rumores cibernéticos que Souto de Moura poderia ser o Nobel da Arquitectura deste ano, ainda mais feliz fiquei quando soube que era verdade. É sempre uma alegria muito grande saber que um Nobel da arquitectura é entregue a um português porque além de reconhecer o bom trabalho deste arquitecto espelha também a qualidade da arquitectura que se faz em Portugal.

“Durante as últimas três décadas, Eduardo Souto de Moura produziu um corpo de trabalho que é do nosso tempo mas que também tem ecos da arquitectura tradicional. Os seus edifícios apresentam uma capacidade única de conciliar características opostas, como o poder e a modéstia, a coragem e a subtileza, a ousadia e simplicidade”, afirma o júri do prémio no comunicado emitido.

Eduardo Souto de Moura formou-se na Escola Superior de Belas Artes do Porto e iniciou a sua carreira como colaborador no atelier de Álvaro Siza Vieira. Começou muito cedo a vencer concursos de relativa importância na área, como por exemplo o Centro Cultural da Secretaria de Estado da Cultura do Porto, projecto este que o lançou tanto nacionalmente como internacionalmente. Podemos referir que a sua obra sempre teve uma linguagem muito ligada à arquitectura de Mies Van der Rohe, mas com o passar dos anos tem vindo a perder um pouco essa rigidez e a ganhar uma maior complexidade e dinamismo nas formas, sempre sem descurar o desenho espacial a que nos habituou. O Estadio Municipal de Braga e a Casa das Historias de Paula Rego elucidam-nos sobre esta mudança no seu percurso arquitectónico.

Não farei descrições extensivas ou críticas das obras porque penso que as imagens falam por si, deixo-vos entao com algumas das obras mais importantes do nobel da arquitectura 2011.

Fotografia: Luís Ferreira Alves

Deixa-nos o teu comentário: