O Hollywood “Sadcore” de Lana Del Rey

Lana Del Rey é o nome artístico de Lizzy Grant, um cantora/compositora de Nova Iorque que, com apenas 24 anos, conseguiu a proeza de intrigar toda a blogosfera com o videoclipe para Video Games, o seu single de estreia (lançamento comercial agendado para Outubro).
[wide][/wide]

Lana Del Rey é o nome artístico de Lizzy Grant, um cantora/compositora de Nova Iorque que, com apenas 24 anos, conseguiu a proeza de intrigar toda a blogosfera com o videoclipe para Video Games, o seu single de estreia (lançamento comercial agendado para Outubro). Concebido pela própria cantora, o teledisco alterna momentos de performance gravados directamente para uma webcam com imagens de arquivo que procuram reflectir fragmentos de uma América composta por um glamour arruinado, não muito longe do universo apresentado por David Lynch em Mulholland Drive. Num enorme exercício de sampling visual, misturam-se imagens de estrelas enebriadas captadas pela cruel lente dos paparazzi, skateboarders em acrobacias falhadas ou paisagens de solidão do interior americano, cruzadas com a sempre presente bandeira dos Estado Unidos como que a sintetizar uma América em todo o seu esplendor auto-destrutivo. De um negrume e beleza intrigantes, Video Games rapidamente se tornou fenómeno viral no Youtube trazendo a Del Rey uma projecção muito longe daquela que a própria poderia esperar.

Se esteticamente as imagens são irrepreensíveis, o mesmo se pode dizer do som. Misturando referências tão díspares como Nancy Sinatra, Lykke Li, orquestrações com travo anos 50 (ou melhor dizendo, toda a recriação de uma nostalgia dos anos dourados de Hollywood à luz da linguagem pop da modernidade), Del Rey conseguiu criar um género musical novo ao qual chamou, apropriadamente, Hollywood Sadcore. E claro, ajuda bastante que a cantora em questão seja dona de uma potente voz (e que voz!), tão sombria quanto sedutora, capaz de incutir profundidade a cada verso agri-doce que entoa com impressionante segurança.

Mas nem só deste tema vive o single a lançar em Outubro. O lado B traz-nos Blue Jeans, uma deliciosa canção de contornos um pouco mais pop que conta já com um vídeo próprio (igualmente dentro de uma linha de pensamento do it yourself). A imagem da cantora continua evoluir numa cada vez mais eficaz exploração de um look vintage-chic cruzado com a cultura urbana da actualidade, adivinhando-se uma popularidade crescente nos próximos meses (os concertos nos Estados Unidos foram já reagendados para recintos maiores de forma a responder à procura de bilhetes). A verdade é que, citando todo um conjunto de universos sonoros e visuais aparentemente antagónicos, Lana Del Rey incutiu na pop um tão desejado ar fresco que nos faz aguardar ansiosamente pelo seu primeiro álbum. Não a conseguimos ainda categorizar em nenhum género específico, mas talvez seja esse o seu fascínio. Certezas, só a de estarmos na presença de uma das estreias mais estimulantes da cena musical deste ano. Que venha depressa visitar-nos num palco português.

[jwplayer mediaid=”5332″] [jwplayer mediaid=”5333″]

Também poderás gostar



Tags from the story

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.