Who What Next: David Ferreira

David Ferreira tem 26 anos e é designer de moda. As suas colecções já galgaram as passarelles em Nova Iorque e Londres e agora chegam a Portugal através da ModaLisboa. Sangue Nacional, com certeza, a seguir!

David Ferreira tem 26 anos, nasceu em Aveiro e estudou na University de Westminster, em Londres. Ele foi a novidade na passada edição da ModaLisboa, onde apresentou a sua colecção na plataforma LAB. Antes disso, David já passou pelas runways de Nova Iorque através da plataforma VFiles e, em Londres, na Fashion Scout da London Fashion Week. Falámos com o jovem designer para saber quais são as suas inspirações e os seus objectivos a longo prazo para a sua promissora carreira.

Qual é o teu processo de criação?

O processo ‘normal’ para mim é começar com a pesquisa, criar uma musa fictícia e o mood da colecção. Depois da inspiração já estar a ser explorada e esse mood definido passo para a criação de texturas, tecidos, formas.

Onde vais buscar a tua inspiração?

Tenho sempre uma tendência para ter bases históricas presentes nos meus moods e na minha pesquisa. Para além disso, encontro inspiração em tudo o que me rodeia.

david-lookbook-vogueitalia

A tua colecção passada, inspirada em alta-costura europeia combinado com elementos de vestidos tradicionais chineses,  foi bastante bem recebida durante a New York Fashion Week. Como surgiu o convite da VFiles e qual foi a tua reacção?

Fui um dos vencedores da VFiles Made Fashion. Para ser honesto, fiquei surpreendido, pois quando criei o meu perfil na VFiles foi com o intuito de apresentar o meu trabalho a stylists, editores, etc… Por isso, quando fui contactado pela Julie Anne Quay, foi uma enorme e óptima surpresa. Fiquei sem palavras.

Qual tem sido o feedback a nível nacional e internacional das tuas colecções?

O feedback tem sido muito bom! Tanto nas críticas, como em apoios e reconhecimento por parte da indústria nacional e internacional, o que é incrível nesta fase da minha carreira. Em Londres ganhei o Fashion Scout Merit Award e apresentei lá parte da minha colecção de Outono/Inverno 2016 e, em Portugal, tive a oportunidade de me estrear na ModaLisboa através da plataforma LAB.

Tens sido comparado a grandes nomes internacionais da alta-costura, quase como um jovem nome promissor. O que sentes com essa comparação?

Sinto-me extremamente lisonjeado. É uma honra ser comparado com os grandes nomes da indústria.

A cultura Pop está muito presente na última colecção que apresentaste durante o Fashion Scout da London Fashion Week. Porque te inspiraste nela e qual é a tua ligação com a cultura Pop?

A cultura Pop é algo muito presente nos dias que correm e está bastante associada à minha geração. De certa forma foi – e continua a ser – um elemento muito presente no meu dia-a-dia o que naturalmente se poderá reflectir no meu trabalho.

(Arquivos ModaLisboa / Fotografia: Rui Vasco)

Qual seria um dos teus ‘dream jobs’?

Tirando o que tenho – ser designer da minha própria marca -, seria sem dúvida ser o director criativo de uma casa de alta-costura como a Christian Dior.

Quais eram as tuas expectativas ao apresentar o teu trabalho pela primeira vez na ModaLisboa?

Muito boas. O intuito de apresentar em Lisboa é de poder mostrar o meu trabalho a toda a indústria nacional. Com a minha primeira colecção, fui contactado por vários buyers em Portugal interessados no que faço por isso faz muito sentido também apresentar na ModaLisboa.

Onde podemos adquirir as tuas criações?

A minha colecção Primavera/Verão 16 pode ser encomendada na loja VFiles  em Nova Iorque ou no meu atelier em Lisboa. Em breve poderão fazer encomendas através do meu website também.

O David é um novo nome na indústria e certamente um a seguir! Fiquem atentos aos seus próximos passos… sigam o David e o seu trabalho através do seu Instagram!