Mika

Bem vindos ao seu mundo: onde algum “louche dilettante” lança a maior festa do universo e toda a gente está convidada deixo do dua própria lua de cereja. O Mika é compositor, performer, produtor e “orquestrista” e está preparado para lançar o seu primeiro álbum para o mundo! Os sons, estrondosamente musicais e profundamente pensativos, combinam uma fúria eufórica com alguns elementos inesperados: melodramas diários e contos nocturnos de amor, abandono, esperança e alegria. Todos esses sentimentos jogam por atenção, cada um de puro pop dourado.

O Mika é um jovem verdadeiramente internacionalista. Nasceu em Beirute, no Líbano a meados dos anos 80. A sua família cedo teve que mudar-se para Paris devido ao infortúnio da guerra. Quando o seu pai foi subsequentemente levado como refém e mantido junto à Embaixada da América no Kuwait, a família finalmente acabou por se instalar em Londres. Esta foi uma inevitável experiência para o jovem herói, descalço, perdido no caos.

“Foi a combinação das mudanças assim como os horrível tempo que passei na escola nos primeiros anos que estive em Londres que me levou a esquecer-me como ler ou escrever e até parar de falar durante algum tempo. Fui retirado da escola por quase seis meses; isto para tentar arranjar uma nova escola. Foi nesta fase que a música tornou-se bastante importante para mim. Ajudou e voltou a por-me de pé.” diz ele que, pelos nove anos de idade, já tinha a certeza que a escrita musical seria o seu destino.

As performances electrónicas que ganhariam alguns dos ouvidos dos mais críticos do mundo, viriam mais tarde….

“Quando eu era só um rapaz, depois de começar a cantar os trabalhos caiam-me aos pés. Com a ajuda de uma professora de canto terrivelmente dura, consegui tornar-me realmente bom a nível profissional. Fiz de tudo, desde gravar com a Royal Opera House, a Orbit Chewing gum jingle. Nunca me esqueço de ligar para a British Airways para comprar um bilhete, somente para me poder ouvir a cantar na lista de espera do telefonema… Esses foram uns dolorosos oito minutos. Penso também que a outra razão de arranjar muito trabalho é que eu eram incrivelmente… barato! Nem eu nem a minha mãe tínhamos a mínima ideia de quando se deveria receber e ninguém teve a pressa de nos ensinar isso. Olhando agora para trás, penso que o que recebi da Orbit chewing gum jingle foi muito pouco…”

Um auto-didacta pianista, ginasta, vocalista e entertainer nato, o Mika tem a música nos seus ossos e prodigiosamente a uma jovem idade, ele estava preparado para o espectáculo. Ele não foi caçado por uma rádio ou foi seduzido pelo brilho do “Top Of The Pop’s” na TV quando ele teve os seus primeiros despertares para as performances.Em vez disso, ele foi catapultado para o palco de uma ópera de Richard Strauss aos 11 anos. David Hockney andava pelos ensaios nos fundos, com modelos, desenhando o cenário (ele ainda tem o poster dessa ópera na parede da sua sala, assinada pelo Hockney). Depois de uma quase completa exclusão social na escola – “Gostava de ter sido eu a excluir-me, mas, infelizmente, excluíram-me a mim” – esta foi a vida pela qual ele se apaixonou imediatamente, como que instantâneo:

“Era um mundo mágico no qual eu podia viver. Um universo paralelo para pessoas que tem ilusões, encantamentos.”

Nos últimos doze anos da sua vida, ele seguiu ao máximo o seu próprio universo paralelo até à sua conclusão natural, estando agora, prestes a apresentar o seu dinâmico, idiossincrático e não tímido álbum de lançamento. Coberto de melodias luminosas, e um distinto estilo lírico que fala exactamente e distintamente dos seus momentos, foi-lhe finalmente dada a oportunidade da sua visão própria.

“Cresci ouvindo tudo, desde Joan Baez e Dylan, a Serge Gainsbourg e Flamengo. Os meus gostos musicais tornaram-se mais e mais eclécticos durante o meu crescimento, mas volto sempre atrás para grandes artistas, pessoas que fizeram grandes discos com a sua própria visão. Prince, Harry Nillson, Elton John e até o Michael Jackson. Estas pessoas fizeram discos de pop distintos que não poderiam ser actuados por mais ninguém, e era isso que eu gostaria também de fazer…”

www.mikasounds.com

Subscribe

Subscribe now to our newsletter

Ao clicares nesta caixa, concordas (SIM) com os nossa política de privacidade e armazenamento dos teus dados para (e somente) envio te publicações periódicas sobre os conteúdos que publicamos na Janela Urbana.