Martin Margiela

Martin Margiela é um designer de moda de origem belga. Este mês, falamos deste ilustre, designer, desconhecido.
Look Book Outono/Inverno 09 Homem. Fotografia © Jacques Habbah

Martin Margiela é um designer de moda de origem belga. Este mês, falamos deste ilustre, designer, desconhecido.

Aos dezoito anos deixou Limburg, a sua cidade natal, para estudar moda na escola mais “desconstrutivista” do mundo, a Royal Academy of Arts, na Antuérpia, junto com os lendários «Antwerp Six», um colectivo de vanguarda composto por seis designers de moda que incluíam nomes como Walter Van Beirendonck, Dirk Bikkembergs ou Dries van Noten. Através do seu trabalho, podemos descrevê-lo como um designer que adora o novo, que gosta de apimentar com alguma estravagância, alguém que nasceu para contrariar.

Em 1984, Martin muda-se para Paris, onde se torna assistente de Jean Paul Gaultier e quatro anos depois, em 1988, apresenta a sua primeira colecção de pronto-a-vestir sob a marca Maison Martin Margiela – esta é a sua marca própria criada em parceria com Jenny Meirens. As colecções desta maison escandalizaram o mundo com as costuras aparentes nas roupas, saias abalonadas que pareciam sacas, vestidos transformados em várias jaquetas. Margiela ditava e impunha o desconstrutivismo à moda até então apresentada. Bom exemplo disso são as excêntricas “Tabi boots”, um par de botas no formato de pé de porco.

À volta da imagem de Martin Margiela sempre se viveu uma intensa curiosidade. Mas afinal, quem é o criador destas colecções irreverentes? Desde que Martin começou a sua carreira de designer de moda, este nunca se deixou ser fotografado, não aparece no final dos seus desfiles, as entrevistas são-lhe feitas via fax. Esta estratégia de marketing (ou mera timidez, quem sabe) valeu-lhe numa ainda maior curiosidade relativamente ao seu trabalho. Muita gente ao longo do tempo questionou-se se de facto haveria ou não um “Martin Margiela”. Mas isso não afastou a sua glória e apesar do seu design não tradicional, Martin tornou-se o designer da linha feminina da Hermés e serve de inspiração a outros grandes nomes como Marc Jacobs e Nicolas Ghesquière, o actual designer da Balenciaga.

Desfile Outono/Inverno 09. Fotografia © Giovanni Giannoni

Margiela não é somente um designer de moda. É, sobretudo, um artista. Ao longos dos seus quase vinte e cinco anos de carreira, este realizou colecções de moda e decoração, apresentou peças em museus e institutos de moda – como o Museu da Moda e do Costume, em Paris, o Metropolitan Museum of Art e no Fashion Institute of Technology em Nova Iorque ou ainda o Tokyo Museum of Moderna Art, em Tóquio – galerias e feiras de arte e design – como a Galeria Carla Sozzani, em Milão, a Bienal de Moda de Florença, em Itália, entre outros. O seu nome voou entre Nova Iorque, Londres até Tóquio, onde as suas criações são abraçadas sempre com um olhar curioso.

Showroom Maison Martin Margiela. Fotografia © Julien Oppenheim

A Maison Martin Margiela desde o seu início já abriu mais de vinte e cinco lojas em todo o mundo. Em 2002, esta foi comprada pelo grupo Only the Brave liderado por Renzo Rosso, passando assim a fazer parte de um aglomerado de marcas como a Diesel, 55DSL, Sophia Kokosalaki, DSquared, Staff International e mais recentemente, a dupla de designers holandeses Viktor & Rolf. Este grupo tem como objectivo comprar pequenas empresas devidamente organizada com reputação de potencial para superar as suas cotas de vendas. Este grupo produz e distribui, além das marcas de propriedade de Renzo, outras, como Vivienne Westwood.

Salão do Móvel por Maison Martin Margiela “Mat Satiné Brillant”. Instalação / Milão 2009

O seu nome continua a reinar na irreverência que cobre as passerelas em todas as semanas da moda em que participa. Quem sabe um dia, será ele o próprio desfile. Aguardamos…

www.maisonmartinmargiela.com

Deixa-nos o teu comentário: