Pedro Zamith apresenta Sombras e Rostos

No universo visual de Pedro Zamith habitam monstrificações, personagens agressivas, bizarras, dilaceradas, esventradas e subversivas...

No universo visual de Pedro Zamith habitam monstrificações, personagens agressivas, bizarras, dilaceradas, esventradas e subversivas. O artista nutre uma atracção pelo visceral e pelo grotesco, oriundos talvez do seu fascínio pelo barroco. Zamith faz uma ponte entre a pintura, a ilustração e a banda desenhada e o seu imaginário criativo vomita estranhos seres em cores fortes e garridas numa tentativa de elevar o caos ao limite máximo. Vive da informação visual e da atracção que sente pelas cidades e pelo apocalíptico. Não no sentido destrutivo mas sim pelo lado do humor negro e ironia social. Como nos filmes iniciais de Peter Jackson, ou nos trabalhos de Robert Crumb, ou nas pinturas de Gorsz que muito o influenciam. O seu universo é quase uma telenovela repleta de personagens metamorfoseadas que coabitam em cenários e temporalidades diferentes. Interessa-lhe a procura do transcendente e gosta de colocar excesso de informação nas suas obras, aliciando o espectador a descodificar toda a panóplia de seres e mensagens que nelas habitam. Pedro Zamith não gosta de ver telas vazias e cria no seu atelier um ambiente propício que o envolva numa incessante busca de seres e conteúdos.

Zamith funciona por impulso e trabalha sempre por objectivos. O cinema contamina-o e para a exposição Sombras e Rostos a ideia partiu de dois filmes de John Cassavetes: Faces e Shadows. O imaginário dos filmes, as sombras, as expressões faciais, o modus vivendi da altura pairaram na sua cabeça durante algum tempo, fazendo com que a ideia fosse germinando. Atraiu-lhe o tema das profissões consideradas como menos relevantes e que a sociedade relega para segundo plano. Iniciou a sua pesquisa de profissões e vivências de pessoas – quase Série B - como as define. Deste elenco de personagens passaram a fazer parte as figuras que vemos na rua com pouca frequência como os amola-tesouras ou profissionais do circo e das feiras. Aqui entramos no universo do freak show relembrando o filme Freaks de Tod Browning. Também a série dos quatro filmes X-Man o influenciou nesta sua demanda. Trata-se de humanos aparentemente normais mas que têm super-poderes. Um deles trabalha no circo devido aos seus poderes e noutro dos filmes uma das personagens é descoberta numa feira a fazer truques de magia. Ideias que têm uma série de paralelismos com situações que se passam actualmente. “Apeteceu-me dar importância a estas figuras que são normalmente esquecidas pela sociedade”, diz Zamith.

Pedro Zamith é licenciado em Pintura pela Faculdade de Belas Artes de Lisboa. Bacharel em Cenografia pela Escola Superior de Teatro e Cinema, 1994 e professor de Visual Arts no Colégio Planalto.

A exposição de Pedro Zamith – “Sombras e Rostos” está patente na Galeria Fábulas (Calçada Nova de São Francisco, nº 14) ao Chiado de 14 de Abril a 14 de Maio. Esta é uma exposição Umbigo, com curadoria de Elsa Garcia e Miguel Matos.

Tags from the story
,

Deixa-nos o teu comentário: