It’s never too late! Estoril Fashionart Festival 2010

O Estoril Fashionart Festival 2010 decorreu, entre Cascais e o Estoril no passado mês de Julho e reuniu diversos artistas e criativos num mix de exposições, desfiles e provas ligadas, obviamente, sempre a ao tema moda e arte.

Exposição: Luis Venegas GREATEST HITS

O independente criador, o designer gráfico, o editor, o fotógrafo, que tem a sua própria casa como sua principal referência de espaço de trabalho, apresentou-nos fotografias, recortes de revistas e Vídeo Art, como sendo os seus principais registos de expressão artística. É visível para Venegas, a singela atracção pelo corpo masculino-jovem, pelo transformismo e pelo andrógino. Capta ambientes descontraídos ou poses estrategicamente pensadas, foca a presença de figuras hollywodescas, famosos, porque para ele “Nothing is impossible”.

O seu fanatismo por figuras como Barbra Streisand é interpretado como sendo uma parte da sua infância e do início da sua adolescência, em que lhe agradava toda a nova pop e o americanismo fortemente presente no rock, nas revistas, nas tendências, no cinema. Daí a sua vontade de ele próprio criar os seus projectos, reinventar capas de revistas, utilizar um grafismo equiparado a BD. É uma expressão influenciada por tudo aquilo que o viu crescer, pois sugere a satisfação pessoal, a imagem de que a juventude impera.

Exposição: Hombres en falda

É de glorificar a disposição do espaço, onde esta mostra esteve exposta. Um mural com esboços a giz, elaborados por Ángel, apresentavam-nos quase que de uma forma naif a figura masculina vestida de saia, sendo pano de fundo para a performance de abertura. Era uma porta aberta para apreciar o que os designers tinham para nos apresentar, incluindo peças de criadores portugueses, participantes pelo facto desta mesma exposição se ter realizado pela primeira vez em Portugal.

Presente estava a ideia de que o homem já usara saia desde os primórdios e muitas delas eram peças de identidade cultural, outras mais conceptuais como a de Dolce&Gabbana e ainda outras com sentido comercial como a de Eduardo Rivera.

A colocação desta peça de vestuário no mercado, tem demonstrado cada vez mais importância e aceitação pelo público masculino, expostas por secção: colecções de Primavera/Verão e Outono/Inverno.

Para David Sousa, monitor da mostra, a afluência foi positiva para quem por lá passou. O público interessou-se por saber a história e as curiosidades inerentes aos diferentes registos expostos.

Exposição: Boomshirt

Falamos de moda, de arte, bases da criação deste evento. Falamos de Verão, época em que fomos conhecer o que 150 intervenientes criaram. Falamos de t-shirts brancas, alvo de intervenção com diversos materiais, ideias, recortes, conceitos. Sugeriram-nos 50 peças lavadas de estampagens comerciais, sujas de cores e aplicações, engomadas cada uma com trabalho pensado a três e “vestidas” por participantes das mais variadas áreas profissionais, que suaram-nas de “que belo”, “que minucioso”, “wow”. Era o que se ouvia junto dos que a visitaram.

Desfile: Splash

Nunca antes nos sentar à sombra e deixar ver passar criações dos designers portugueses Ana Salazar, Dino Alves, Tenente, Katty Xiomara e Miguel Vieira, nos tinha refrescado a memória do bom que se é capaz de apresentar por cá. As colecções de swimwear desfilaram à volta da piscina do Hotel Estoril Palácio, como se de uma performance se tratasse. Assistimos a um espectáculo digno de nos despir da ideia de que “já vi isto em algum lado”.

Tags from the story

Deixa-nos o teu comentário: