It’s never too late! Estoril Fashionart Festival 2010

Exposição: Luis Venegas GREATEST HITS

O independente criador, o designer gráfico, o editor, o fotógrafo, que tem a sua própria casa como sua principal referência de espaço de trabalho, apresentou-nos fotografias, recortes de revistas e Vídeo Art, como sendo os seus principais registos de expressão artística. É visível para Venegas, a singela atracção pelo corpo masculino-jovem, pelo transformismo e pelo andrógino. Capta ambientes descontraídos ou poses estrategicamente pensadas, foca a presença de figuras hollywodescas, famosos, porque para ele “Nothing is impossible”.

O seu fanatismo por figuras como Barbra Streisand é interpretado como sendo uma parte da sua infância e do início da sua adolescência, em que lhe agradava toda a nova pop e o americanismo fortemente presente no rock, nas revistas, nas tendências, no cinema. Daí a sua vontade de ele próprio criar os seus projectos, reinventar capas de revistas, utilizar um grafismo equiparado a BD. É uma expressão influenciada por tudo aquilo que o viu crescer, pois sugere a satisfação pessoal, a imagem de que a juventude impera.

Exposição: Hombres en falda

É de glorificar a disposição do espaço, onde esta mostra esteve exposta. Um mural com esboços a giz, elaborados por Ángel, apresentavam-nos quase que de uma forma naif a figura masculina vestida de saia, sendo pano de fundo para a performance de abertura. Era uma porta aberta para apreciar o que os designers tinham para nos apresentar, incluindo peças de criadores portugueses, participantes pelo facto desta mesma exposição se ter realizado pela primeira vez em Portugal.

Presente estava a ideia de que o homem já usara saia desde os primórdios e muitas delas eram peças de identidade cultural, outras mais conceptuais como a de Dolce&Gabbana e ainda outras com sentido comercial como a de Eduardo Rivera.

A colocação desta peça de vestuário no mercado, tem demonstrado cada vez mais importância e aceitação pelo público masculino, expostas por secção: colecções de Primavera/Verão e Outono/Inverno.

Para David Sousa, monitor da mostra, a afluência foi positiva para quem por lá passou. O público interessou-se por saber a história e as curiosidades inerentes aos diferentes registos expostos.

Exposição: Boomshirt

Falamos de moda, de arte, bases da criação deste evento. Falamos de Verão, época em que fomos conhecer o que 150 intervenientes criaram. Falamos de t-shirts brancas, alvo de intervenção com diversos materiais, ideias, recortes, conceitos. Sugeriram-nos 50 peças lavadas de estampagens comerciais, sujas de cores e aplicações, engomadas cada uma com trabalho pensado a três e “vestidas” por participantes das mais variadas áreas profissionais, que suaram-nas de “que belo”, “que minucioso”, “wow”. Era o que se ouvia junto dos que a visitaram.

Desfile: Splash

Nunca antes nos sentar à sombra e deixar ver passar criações dos designers portugueses Ana Salazar, Dino Alves, Tenente, Katty Xiomara e Miguel Vieira, nos tinha refrescado a memória do bom que se é capaz de apresentar por cá. As colecções de swimwear desfilaram à volta da piscina do Hotel Estoril Palácio, como se de uma performance se tratasse. Assistimos a um espectáculo digno de nos despir da ideia de que “já vi isto em algum lado”.

Subscribe

Subscribe now to our newsletter

Ao clicares nesta caixa, concordas (SIM) com os nossa política de privacidade e armazenamento dos teus dados para (e somente) envio te publicações periódicas sobre os conteúdos que publicamos na Janela Urbana.