Chifre

Com um ano de existência e um punhado de artistas no reportório, chegou finalmente a altura da editora indie Chifre se dar a conhecer. Com lugar marcado no Musicbox pelas 22 horas de sexta-feira, é ao cargo de nomes como David Pires ou Diego Armés que a apresentação oficial da editora é realizada.

Com um ano de existência e um punhado de artistas no reportório, chegou finalmente a altura da editora indie Chifre se dar a conhecer. Com lugar marcado no Musicbox pelas 22 horas de sexta-feira, é ao cargo de nomes como David Pires ou Diego Armés que a apresentação oficial da editora é realizada. As expectativas são altas mas a co-fundadora Vanda Noronha não se acanha quando prevê uma festa “daquelas para contar aos netos!”

Fruto de um trabalho conjunto dos quatro fundadores da editora, o ponto de partida era bastante óbvio. “Chegámos à conclusão que havia lacunas no panorama musical português que poderíamos ajudar a colmatar”, diz Vanda Noronha. Mas numa análise que a outros projectos se assemelha, é aqui que a Chifre se distingue. “Em vez de ser mais uma boa ideia que ficou na gaveta, resolvemos andar com as coisas para a frente”, conta a mesma, “e demorou um ano ainda, mas já está a dar frutos”.

Os requisitos que colocam são simples: “Têm de ser bons músicos, bons cantores e bons ao vivo”, determina Vanda Noronha, que em conjunto com os restantes elementos da editora decidem em conjunto o agênciamento , ou não, dos artistas. E o resultado é uma editora fiel à sua visão inicial, de promoção de boa música portuguesa de forma compensatória e transparente com o artista . “A criação da Chifre prova, para mim, que é possível fazer coisas boas em Portugal, com boa fé e boa vontade, mesmo que os meios sejam poucos”, esclarece.

Concentrados no agênciamento, edição e promoção dos seus artistas, a razão prende-se com a liberdade criativa destes. “Acabamos por perguntar aos nossos músicos o que é que eles precisam, e fazer todos os esforços possíveis para os ajudar”, explica a co-fundadora da Chifre, “para que as pessoas com quem trabalhamos se consigam concentrar apenas na sua arte”. E este trabalho poderá agora ser avaliado.

Com concertos de David Pires, A Armada e Capitão Fausto, há ainda concerto e estreia do primeiro vídeo do single de Diego Armés, para além da venda paralela do merchandise da editora. E a terminar a noite ao bom estilo Chifre, nada melhor que uma batalha de Dj’s entre a editora e a estação de rádio Radar. Uma noite que promete, com obras que merecem e que a Chifre já ajuda.

Mais informações em www.chifre.org. Bilhetes em www.tinyurl.com/festachifre

A Armada
Capitão Fausto
David Pires
Diego Armés

Deixa-nos o teu comentário: