Nefandus, o pecado ao serviço dos conquistadores

Taxonomy of the Wild, Carlos Motta.
A exposição do artista de origem colombiana, Carlos Motta, promete inverter a narrativa de uma história que está muito mal contada.
[wide]
Taxonomy of the Wild, Carlos Motta.
Taxonomy of the Wild, Carlos Motta.
[/wide]

Inaugura hoje, na galeria Filomena Soares, a exposição Nefandus, de Carlos Motta, artista americano de origem colombiana, que ao longo da sua carreira já marcou presença em instituições prestigiadas como a Tate Modern de Londres, The MoMA e The Guggenheim Museum em Nova Iorque, entre muitas outras.

Para esta exposição, patente até dia 14 de Setembro, apresenta uma série de trabalhos que exploram a imposição de parâmetros hegemónicos europeus – quer morais, quer religiosos- durante o processo de colonização das Américas pré-hispânicas.

Nefandus, da palavra latina cujo significado é impuro e abominável, associada, na América Latina Colonial, ao pecado de natureza sexual, é o título do vídeo que constitui o eixo central desta exposição, já vencedor do Premio Catalonia Ramblas do Loop 2013 e cujo tema investiga a homossexualidade pre-hispânica das culturas nativas, numa contra-narrativa da história colonial.

Até dia 14 de Setembro | Galeria Filomena Soares | Lisboa

Deixa-nos o teu comentário: