Maratona Modernista no Dona Maria II

A entrada no Verão vai ser assinalada com uma tarde dedicada à redescoberta dos textos que nos deixou a primeira geração de poetas e escritores modernistas.

[wide]fp[/wide]

por Ricardo Santos

O Teatro Nacional D. Maria II vai assinalar a entrada no Verão com uma tarde dedicada à redescoberta dos textos que nos deixou a primeira geração de poetas e escritores modernistas. No próximo sábado, dia 22, vultos como Fernando Pessoa, Mário de Sá-Carneiro e Almada Negreiros mas também nomes menos conhecidos como Luís de Montalvor ou Alfredo Pedro Guisado farão parte das leituras desta comemoração do modernismo nas letras portuguesas.

A Maratona Modernista é uma revisitação que se justifica pela importância da corrente: «estética por excelência da diversidade, da questionação dos valores estabelecidos ética e literariamente, da euforia face às invenções da técnica, da libertação da escrita literária de todas as convenções e de todas as regras, o modernismo marcou o século XX e afirmou-se como uma matriz da nossa história literária.»

A par de leituras programadas, feitas por actores profissionais, haverá também espaço para «leituras imprevistas feitas em vários espaços do Teatro». Em baixo fica o programa das festas. A entrada é livre e a saída também.

 

16h | Varanda do Salão Nobre

Manifesto Anti-Dantas, de Almada Negreiros, por Paula Mora

 

16h15 às 17h50 | Biblioteca, Átrio, Foyer, Sala Garrett, Elevadores 1 e 2, 1.ª Ordem, 2.ª Ordem, 3.ª Ordem, Sala Estúdio e corredor da Sala Estúdio

Leituras simultâneas de textos, citações, manifestos e cartas dos autores da Primeira Geração Modernista, por atores profissionais e outros leitores.

 

18h | Salão Nobre

Manucure, de Mário de Sá-Carneiro, por João Grosso

 

19h | Varanda do Salão Nobre

Manifesto Anti-Dantas, de Almada Negreiros, por Paula Mora

Deixa-nos o teu comentário: