Incubar Arte a partir de Lisboa
[wide] Incubadora de Artistas [/wide]

Empresas, ovos e bebés, muitas coisas cabem numa incubadora, mas será que ainda há espaço para hospedar um artista? Difícil seria imaginarmos agora o bigode de um Dalí, ou a “tigela” loira de um Andy Warhol numa destas “mães emprestadas”, mas é muito provável que, antes de se tornarem os Dalí e Andy Warhol da História, eles próprios, ainda emergentes, não se teriam importado de estar nos seus cuidados intensivos até nascerem e, finalmente, andar com as próprias pernas pelo mundo da arte fora.

Este é o conceito da Incubadora de Artistas, plataforma de divulgação criada por Letícia de Melo e Ariane Feijo, ou seja encontrar, promover e vender o trabalho de artistas emergentes,  “oferecendo também ferramentas para que eles próprios possam divulgar e comercializar o seus trabalhos“. ” É um projecto de paixão“, acrescenta Ariane, e, pela maneira como fala, seria impossível não acreditar.

A ideia nasceu ainda nas salas da Faculdade de Belas Artes, onde Letícia estudou. Perante o talento de alguns jovens colegas e a constatação que, em muitos dos casos, este talento estava destinado a ser deixado numa gaveta, Letícia decidiu fazer algo. Primeiro criou uma página de facebook como espaço virtual onde expor obras, e, a seguir, com Ariane, deu à luz a Incubadora de Artistas. O projecto tem data oficial de nascimento em Agosto 2012 e, desde então, tem feito muita estrada. Hoje, cerca de quarenta artistas de diferentes países – Portugal, Espanha, Filipinas e Dinamarca, entre outros-  já integram o acervo da Incubadora, rigorosamente selecionados pela própria Letícia. “Escolher um artista ou uma obra passa muito pela questão da técnica, da narrativa de imagem, das razões subjacentes no trabalho, mas também, sem por isso focarmos no aspecto comercial, da amplitude que a obra pode ter no mercado”, explica Letícia, que tem a cargo a curadoria, enquanto Ariane trata da gestão e comunicação.

As duas, brasileiras de origem, escolheram viver em Lisboa – “o Rio de Janeiro da Europa”, diz a Ariane -, onde fundaram a empresa As Pequenas Grandes Ideias, e a partir daqui prometem levar os seus artistas além-fronteiras. Para isso, o Facebook e a galeria on line, já são óptimos instrumentos de divulgação, mas Ariane e Letícia terão em breve um espaço verdadeiro em Lisboa, onde expor os trabalhos dos seus artistas, e não só. Pensado como cowork da Incubadora, este será um espaço de trabalho, para artistas e todos os que estão envolvidos na industria criativa. As candidaturas já estão abertas, é só clickar aqui .

Entretanto, enquanto esperamos para ver o novo espaço, a Letícia preparou para a Janela Urbana uma exposição virtual. Aspirantes colecionadores, preparem-se!

 

As dicas da Incubadora para se tornar colecionador:

1. Apaixonar-se pela obra: “gostar de uma obra de Arte é como o Amor, não temos de encontrar uma razão”

2. Não compre um quadro só para combinar com os cortinados da sua casa

3. Conhecer a história do artista, descobrir o período em que a obra se enquadra e o seu valor no mercado

4. Não comece uma colecção de arte pensando só no valor monetário: “comprar uma obra é como um casamento, vai conviver durante muito tempo com ela”

5. Conservar a obra nas melhor das condições

 

Subscribe

Subscribe now to our newsletter

Ao clicares nesta caixa, concordas (SIM) com os nossa política de privacidade e armazenamento dos teus dados para (e somente) envio te publicações periódicas sobre os conteúdos que publicamos na Janela Urbana.