Vodafone Paredes de Coura – Dia 1

[wide]moullinex[/wide]

texto de: Viviana Martins

fotos de: Luis Sustelo

Abrir um festival, por si só, é uma tarefa ingrata e tendo em conta que, este ano, Paredes de Coura está em brasa – que calor, senhores! – é dificil conseguir arrastar o pessoal do rio fresquinho do Tabuão. Em brasa, ou não, os Tape Junk estavam em a palco às 19h50 para nos oferecerem rock do bom.

20h50: Depois de muita guitarrada, não estávamos preparados para o que aí vinha. O Bisonte, o ‘Homem’ com o diabo no corpo, sobe ao palco secundário pronto para mandar a casa a baixo. E mandou mesmo. Viram-se os primeiros crowd surfing do festival. Muitos gritos e “gestos obscenos” fizeram do segundo concerto da noite um sucesso para a multidão que já se encontrada frente ao palco.

Já caiu a noite em Paredes de Coura e o calor, esse, parece que veio para ficar. Ainda tudo quente da loucura que foi o concerto anterior, preparamo-nos para ouvir a banda mais aguardada da noite. Sem atrasos, nem demoras, Sensible Soccers ofereceram-nos mais do que música, trouxeram-nos amor. Passando por todos os temas, destacamos o novo single “Sofrendo por Você” que teve direito a um bailarino que fez jus a todos os magníficos dançarinos que conhecemos do recente videoclip do tema. Já sem tempo para muito mais, ouviam-se frases como “Só mais uma”, “Toca a Fernanda”. E claro que a “Fernanda” chegou, sem desiludir. Sensible Soccers subiram a fasquia para os que as bandas que se seguiam. Vai ser difícil os vencerem neste jogo.

Muita gente veio passear a Coura este ano, e isso já é bem visível neste primeiro dia, não oficial, do festival. Moullinex e os seus ananases sobem à cabine para iniciar a segunda parte da noite, a “discoteca ao ar livre”. Esta nova revelação portuguesas nos pratos, fez o que tinha a fazer; pôr todos a dançar. Da Chick, amiga e companheira de outras aventuras do músico, subiu a palco para dar o ar da sua graça e abrir o apetite para o que se podia ouvir no segundo dia do festival. Hoje,  Moullinex regressa com os seus amigos Discotexas.

Para acabar esta primeira noite, que foi inteiramente portuguesa, os filhos da terra, Filthy Pigs ofereceram ao público, já embalado com muito alcoól, o que este queria ouvir. Os grandes sucessos da electrónica dos últimos tempos e muitos remixes de musicas que o pessoal gosta. Nós, cansados da grande viagem e do trabalho recolhemo-nos. No caminho de volta a casa ainda ouvimos “My Number” dos Foals – Bora voltar para trás? Fica para amanhã, ainda há muito para ver.