Pequeno-Almoço JURB #2

Desta vez, a Janela Urbana foi experimentar o pequeno-almoço na Quinoa.
[wide] [/wide]

Por: Petra Vaz

A Padaria Biológica Quinoa recebeu a Janela Urbana com a simpatia e tranquilidade bem conhecidas de quem a frequenta.
Falámos com a Filipa, uma das donas e criadoras que, com a irmã Xana, partilha a alma e paixão por este espaço e cada um dos seus produtos.
Como nasceu o conceito da Padaria Quinoa?

Surgiu com o sonho de produzir bom pão, usando apenas ingredientes biológicos e usando métodos exclusivamente tradicionais e de criar uma Padaria que também era uma Cafetaria bem no coração de Lisboa, no Chiado, oferecendo Pequenos-almoços, Almoços e Brunch.

 

Em que data e como foi a receptividade do público?

Abrimos a 26 de Novembro de 2009. Queríamos ter tudo pronto antes de abrir, sem pressas. A receptividade foi absolutamente fantástica! Tanto que alguns dos nossos clientes desse primeiro dia se mantêm até hoje.

 

Quem é o público típico da Quinoa?

Temos dois tipos de público.

Por um lado o Turista que vem porque está a passar e entra e gosta, porque leu nos guias de Lisboa sobre a Quinoa ou (e isto acontece muitas vezes) porque algum amigo que cá esteve recomendou. Chegam-nos com o papelinho na mão (sorrisos).

Por outro lado temos o Português que vem primeiramente pelo pão, que é o nosso produto de eleição e que se identifica com o conceito biológico. Para ter uma ideia, temos uma cliente que vem do Porto de propósito para comprar o nosso pão!

 

Quais são os produtos chave? Na padaria há algum favorito? E na pastelaria?

Sem dúvida o pão. E é assim que queremos mantê-lo. O pão é “o” produto biológico da Quinoa. Pode haver a nível de pastelaria coisas biológicas, mas não é obrigatório. Por isso diria que é o pão o produto chave e o favorito é o Pão Quinoa.

A nível de pastelaria, a Tarte Merengada de Limão, sem dúvida. [Nesta altura sorrio porque com apenas uma “prova” já estou viciada]. Temos um cliente que se preocupa muito com a linha mas que vem cá comer esta Tarte. Ele diz o seguinte: “Se é para quebrar a dieta, tem de ser com algo absolutamente magnífico. A vossa tarte é!”.

 

Toda a pastelaria/padaria é feita aqui ou especialmente para cá?

Toda a padaria é desenvolvida por nós e feita na fábrica que distribui só para nós. A partir daqui fazemos nós a distribuição para clientes privados, restaurantes e supermercados biológicos. As únicas coisas que não fazemos aqui são os croissants e os pastéis de nata.

 

Quantas variedades de pão têm?

No total temos 25; diariamente temos 13. Tentamos ter uma espécie de um pão especial diário, mas temos todos os outros. Os fixos são: Kamut, Quinoa, Pão Preto, Tipo Mafra, Broa de Milho e Baguel e temos tanto em tamanho grande, para levar, como em pequeno, para consumo na Padaria.

Uma coisa que experimentámos e resultou foi vender os pães grandes já fatiados.

 

Fazem serviços de catering?

Sim, fazemos. Mas explicamos ao cliente o que vamos servir e como vamos servi-lo. Eu e a Xana fazemos e preparamos tudo, não mandamos vir nada de fora. E os clientes sabem e gostam de poder servir coisas que são diferentes do habitual.

 

Como ou porquê combinar a Padaria com uma loja de produtos orgânicos/biológicos e produtos referentes a Lisboa e Portugal?  

Foi algo que aconteceu de forma muito natural.

Na parte de “mercearia” por assim dizer, achámos interessante vender produtos que se podiam consumir com os produtos da Quinoa; por isso as compotas, os chutneys, os azeites… Com o aumento de Turistas na Padaria pareceu-nos uma boa oportunidade para promover produtos nossos. Fizemos parceria com a Vera Gama que tem uma linha muito simples e elegante e que se adequa ao nosso espaço. Com ela também criámos alguns produtos com o símbolo da nossa marca.

 

Qual o impacto da “consciência biológica” da Quinoa no público?

A nossa postura é clara. Procuramos que o que fazemos, os produtos que usamos e vendemos – como por exemplo sacos de fécula de batata em vez de plástico, garrafas de vidro em vez de plástico, entre outros – marquem a nossa visão. Quem já se identifica com uma postura mais saudável e biológica continua a fazê-lo; quem ainda não o faz, fica a pensar nisso pelo menos.

 

Quem forma a equipa Quinoa?

Temos tido uma equipa um pouco rotativa ao longo dos anos, o que é normal. Porém, a alma da Quinoa sou eu e a Xana. E não digo isto com presunção. É que afinal este sonho é nosso, dai estarmos completamente entregues.

 

Qual o momento mais marcante no percurso da Quinoa?

Há vários… mas o do dia da abertura foi realmente algo fabuloso e que até hoje quando pensamos nesse dia nos arrepiamos.

Claro que ser nomeado pela revista Tentações como a “Melhor Padaria de Lisboa”, aparecer na Wallpaper como “Uma das 20 razões para visitar Portugal” e outras nomeações e referências em publicações que temos tido, revelam que a nossa dedicação e entrega tem valido, muito, a pena.

 

A conversa seguiu leve e interessante com a Filipa. Esta visita da Janela Urbana à Quinoa deixou claro que este espaço é o resultado de um sonho que se tornou realidade, de uma paixão pelo fazer bem e partilhá-lo.

E como em cada visita, fazemos questão de provar os produtos da casa, desta vez foi: Tarte Merengada de Limão
Sumo de Abacaxi com Hortelã
Pão Kamut com queijo
Sumo de Uva e Pêssego
Tudo biologicamente delicioso! Ficou muito para provar, mas voltaremos, com a desculpa de novas entrevistas, só para nos deliciarmos com a criatividade de uma Padaria que já faz parte da cidade.

Tags from the story