Who What Next: Banda

Tiago Loureiro é o criativo da marca Banda que irá apresentar as suas propostas para Primavera/Verão 2016 durante a próxima da edição do Sangue Novo.

Who: Tiago Loureiro
Where: Lisboa
What: Designer de Moda

Tiago Loureiro é o criativo da marca Banda que irá apresentar as suas propostas para Primavera/Verão 2016 durante a próxima da edição do Sangue Novo. A colecção intitulada ‘Cavalo Dado’ explora a relação entre Homem-espaço em que esta será representada pela cidade de Lisboa.

O que te fez concorrer ao concurso Sangue Novo?

Na altura em que decidi concorrer estava a estagiar no Grupo Diniz & Cruz e lancei a BANDA com o meu colega de gabinete, Aloísio Rodrigues. O nosso trabalho era muito parado e tínhamos algumas horas mortas que íamos preenchendo com conversas, trocávamos ideias, desenhávamos sobre os esquiços um do outro e, a dada altura, decidimos levar isso a sério e criar um projecto para lançar na ModaLisboa.

Em que ano entraste na plataforma?

2014.

Quais são as tuas inspirações de Design?

São muitas. Ando sempre com o meu sketchbook na mochila e estou permanentemente a desenhar nos transportes, nos cafés, entre reuniões… por isso a base do meu trabalho é a rua. As pessoas, a forma como se movem, como interagem, o que falam. Parto de um conceito que surge dessa observação e vou juntando referências que podem chegar-me de muitos sítios: um livro, cinema, uma exposição, uma conversa aleatória que oiço na mesa ao lado num café, etc.

O que pretendes transmitir com as tuas criações?

Uma ideia, o conceito em que se baseia a colecção. Não pretendo transmitir nenhuma sensação específica, porque a forma como as pessoas se relacionam com as minhas peças vai sempre além do que eu idealizo.

Como foi ver o teu trabalho chegar a tantas pessoas através do Sangue Novo?

Depende de quem queres alcançar. Não me interessa particularmente alcançar muita gente ou ter as vizinhas à perna cada vez que o meu trabalho sai numa revista. O que me interessa é alcançar as pessoas certas: os buyers, lojas, retalhistas, investidores, clientes individuais, imprensa creditada. E nisso a ModaLisboa ajuda mas também requer muito investimento paralelo do designer. De resto, o alcance é sempre mais excitante para quem está de fora.

Podes desvendar um pouco do tema/conceito da tua próxima colecção?

A colecção chama-se ‘Cavalo Dado. Sim, o nome tem origem no ditado. Em linhas gerais, explora a relação de adaptação entre Homem-espaço, sendo que este último é representado pela cidade. Escolhi a cidade de Lisboa porque foi aquela em que criei o conceito e por isso tem alguns elementos referenciais, mais gráficos do que o costume. Não tem qualquer intuito nacionalista ou revivalista, ainda que possa parecer.

Onde podemos comprar as tuas criações?

Neste momento, estabeleci uma parceria com o showroom Maison Flair e o objectivo é aumentar a produção de forma a poder entrar aos poucos no circuito de lojas de design nacionais. Podem contactar o showroom ou falar directamente comigo, se o objectivo for ter algo mais personalizado. Até agora quase todas as peças que vendi eram adaptações personalizadas das colecções que apresentámos no Sangue Novo e confesso que me dá muito mais gozo.

SANGUE NOVO
MODALISBOA “THE TIMERS”
6ª feira – 9 de Outubro
18H00, Páteo da Galé